Participe do Cerco de Jericó com padre Adriano Zandoná

Participe do Cerco de Jericó com padre Adriano Zandoná

Padre Adriano Zandoná dá início ao Cerco de Jericó: sete semanas de intensa oração e Celebrações Eucarísticas.

A Comunidade Canção Nova, em São Paulo (SP), deu início nesta segunda-feira, 23 de fevereiro, na Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano, ao grande Cerco de Jericó com o tema: “Agindo Deus, Quem Impedirá?” (Is 43,13). Ao todo a campanha de oração terá sete Celebrações Eucarísticas, presididas todas as segundas-feiras pelo padre Adriano Zandoná, transmitidas ao vivo pela TV Canção Nova a partir das 19h30.

Cantores católicos vão animar as Santas Missas, e cada encontro será encerrado com a adoração ao Santíssimo Sacramento e a oração de “quebra das muralhas de Jericó”, um momento em que cada participante poderá interceder pela quebra das “muralhas” de sua vida pessoal e de seus relacionamentos familiares, e por diversas intenções.

As semanas de intensa oração vão se estender até o dia 6 de abril, a primeira segunda-feira após o domingo da Ressurreição do Senhor. Confira a reflexão do primeiro dia sob o tema “Derrubar muralhas pela força da oração”.

A cada segunda-feira o Cerco de Jericó vai abordar uma temática diferente:

23/02: Derrubar muralhas pela força da oração
02/03: Libertar os relacionamentos do desamor
09/03: Derrubando as muralhas e opressões em nossa mente
16/03: Purificar e amadurecer a própria fé
23/03: Derrubando as muralhas do ciúme e da inveja
30/03: Derrubar as muralhas na vida familiar
06/04: Libertos de todo o mal pelo poder do Espírito Santo

O Cerco de Jericó:

A prática do Cerco de Jericó, que foi baseada nas Sagradas Escrituras, nasceu na Polônia. Consiste na oração incessante e suplicante, durante sete dias e seis noites, diante do Santíssimo Sacramento exposto. No Antigo Testamento, depois da morte de Moisés, Deus escolheu Josué para conduzir o povo hebreu. Deus disse ao sucessor de Moisés que atravessasse o Jordão com todo o povo e tomasse posse da Terra Prometida. A cidade de Jericó era uma fortaleza inexpugnável. Ao chegar junto às muralhas de Jericó, Josué ergueu os olhos e viu um anjo, com uma espada na mão, que lhe deu ordens concretas e detalhadas. Ele e todo o povo executaram fielmente as ordens recebidas: durante seis dias, os valentes guerreiros de Israel deram uma volta em torno da cidade. No sétimo dia, deram sete voltas ao redor dela. Durante a sétima volta, ao som da trombeta, todo o povo levantou um grande clamor e, pelo poder de Deus, as muralhas de Jericó caíram (cf. Josué 6, 1-19).

(Fonte: Blog do professor Felipe Aquino)

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

comentários

↑ topo