A diabetes não é o fim dos doces