Espiritualidade PHN

Conheça padre que, desde criança, queria ser como Dom Bosco

Padre Renato Chiera apresenta seu testemunho e fala sobre o sonho de seguir os caminhos de Dom Bosco desde criança. 

O programa “PHN” na noite desta terça-feira, 3, a partir das 22 horas, traz ao telespectador da TV Canção Nova o testemunho de um sacerdote que tinha o sonho de ser como Dom Bosco desde os 8 anos de idade, para ajudar as pessoas mais necessitadas. Padre Renato Chiera vai partilhar seu testemunho, repleto de histórias marcantes, durante a caminhada sacerdotal e a busca pelo bem do próximo.

Natural de Mondovì, na Itália, Chiera vive no Brasil há 36 anos e é fundador da Casa do Menor São Miguel Arcanjo, cuja sede fica em Nova Iguaçu (RJ). O local acolhe crianças, adolescentes e jovens em situação de risco pessoal, e também dá ênfase ao trabalho com as famílias com o objetivo de promover a reintegração social dos abrigados.

Quando chegou ao país em 1978, como missionário na Baixada Fluminense, o presbítero viu de perto o sofrimento pelo qual passava o povo pobre e marginalizado da região. Apesar do risco e das dificuldades encontradas, padre Renato não teve receio de se aproximar dessas pessoas para compartilhar seu amor com elas. E assim sua missão teve início quando ele passou a acolher crianças necessitadas.

“Aquilo que fizeste a um destes irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes” (Mt, 25, 40). Foi para atualizar e viver essa Palavra que, em 12 de outubro de 1986, nasceu a Casa do Menor São Miguel Arcanjo, assim batizada pelos próprios meninos, que sentiam falta de sua família e de amor.

Padre Renato Chiviera

Padre Renato Chiera (Foto: Arquivo Pessoal)

A Casa do Menor

A entidade faz a diferença pela sua mística e espiritualidade e, sobretudo, por apresentar uma proposta psicopedagógica nova e original, chamada “Pedagogia Presença”, que visa à recuperação do ser humano em sua totalidade, mediante a “presença” de amor ao lado de quem não se sente filho. A maior tragédia não é ser pobre, é não ser filho. E assim, tornou-se modelo e referência de trabalho humanitário dentro e fora do Brasil.

Desse modo, a Casa do Menor, a convite da Igreja e dos governos, foi-se espalhando pelo país afora. Atualmente está presente em três Estados brasileiros: Rio de Janeiro, Ceará e Alagoas. E possui sete filiais na cidades de Miguel Couto, Tinguá, Rosa dos Ventos, Rio de Janeiro (Guaratiba), Fortaleza, Pacatuba e Santana de Ipanema (sertão alagoano). Conta com apoio governamental e comunitário e com uma rede de solidariedade no Brasil e na Europa. E possui uma parceria e comunhão com a Fazenda da Esperança em Teresópolis e Guapimirim.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

comentários

↑ topo