Educativo Maranathá

O que a Igreja diz sobre a fertilização in vitro?

Saiba qual é o posicionamento da Igreja com relação à fertilização in vitro

Letícia Barbosa
Da Redação

A fertilização in vitro é um método artificial de reprodução humana assistida, por isso é alvo de intensos debates referentes a questões éticas, morais e religiosas. Para compreender qual é o posicionamento da Igreja Católica diante do tema, a equipe do programa “Maranathá” decidiu conversar com o coordenador de Pós-Graduação de Bioética da Faculdade Canção Nova, Marco Antonio Papp, e com o membro da Comissão Episcopal Vida e Família Dom João Carlos Petrini.

O que é a fertilização in vitro?
Esse processo consiste no conjunto de procedimentos médicos aos quais a mulher é submetida para a produção (estímulo ovariano) e retirada de gametas femininos para realizar a reprodução humana assistida. Após o homem colher o sêmen, sozinho no laboratório, sem manter relação sexual com a esposa, a fecundação é feita em um ambiente externo. Feita essa etapa, com a fertilização de um embrião de modo artifical, os demais são descartados.

De acordo com o coordenador de Pós-Graduação de Bioética da Faculdade Canção Nova, Marco Antonio Papp, a Igreja aconselha ao casal optar pelo método natural de concepção ao afirmar: “Todos os métodos implicam certo risco e oferecem problemas para a mãe e para a própria criança, por isso a Igreja sempre aconselha, à medida do possível, o caminho da natureza”.

Dom João Carlos Petrini explica que a Igreja afirma não ser justo ter um filho por meio da fecundação artificial feita in vitro mediante a substituição do importante papel do casal na procriação.

“A questão é não é porque é artificial, porque existem coisas artificiais que são admiráveis e que ajudam a vida. A ciência cresce e a Igreja apoia a ciência. O que torna ilícita a fecundação fora do útero é que ela acontece não através de um ator de amor. Toda criança que vem neste mundo tem o direito de nascer de um ato de amor”, frisa o prelado.

Alguns estudos apontam que, durante o processo de fertilização, mais de 80% dos embriões são descartados. Segundo o 8º Relatório do Sistema Nacional de Produção de Embriões – SisEmbrio – produzido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), em 2014 cerca de 41 mil e 830 embriões humanos foram descartados, ou seja, organismos fecundados que se encontravam nos primeiros estágios de desenvolvimento.

Maranathá

Conheça o programa
O “Maranathá” é apresentado pelo padre salesiano Sílvio César, da Paróquia Sagrada Família, de São José dos Campos (SP). Com uma linguagem atual, direta e viva, o objetivo da atração é transmitir a alegria e a coragem de ser cristão evangelizando o mundo que o cerca com iniciativas de amor e solidariedade ao próximo.

A cada edição, o sacerdote mostra ações cristãs que, comprometidas com a vida, a família e a fé, são capazes de transformar as realidades sociais, promovendo a esperança, a partilha e o bem comum.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

comentários

↑ topo