Jornalismo Transmissões Externas

Dom Odilo preside missa pelos 100 anos do genocídio armênio

Em memória aos 100 anos do genocídio armênio, Dom Odilo preside Santa Missa com o bispo armênio.

Larissa Sene
Da Redação

Nesta sexta-feira, 8 de maio, a partir das 19 horas, a TV Canção Nova transmite a Santa Missa presidida pelo Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, na Catedral da Sé, em São Paulo (SP), com a presença do Bispo da Igreja Católica Armênia Dom Vartan Waldir Boghossian, em memória às vítimas do genocídio armênio, que completa 100 anos neste ano.

O massacre, cometido durante a Primeira Guerra Mundial contra o povo armênio pelo Império Otomano, foi comandado pelo Governo Jovens Turcos, que estava no poder na época, e resultou na morte de cerca de um milhão e meio de pessoas, entre 1915 e 1923.

Papa Francisco também presidiu Celebração Eucarística no Domingo da Divina Misericórdia, 12 de abril, na Basílica de São Pedro, para os peregrinos de rito armênio, em memória à tragédia vivida pelos armênios há um século. E deixou uma mensagem a todos os cristãos.

“Invocaremos a Misericórdia Divina para que nos ajude a curar toda ferida e acelerar gestos concretos de reconciliação e de paz entre as nações que ainda não conseguem chegar a um consenso razoável sobre a interpretação daqueles tristes fatos”, discursa o Sumo Pontífice.

Genocidio Armênico

Algumas imagens do massacre (Foto: genocidioarmenio.com.br)

Sobre o Genocídio Armênio

O genocídio armênio, período sombrio da história, ocorreu entre 1915 e 1923 e totalizou cerca de um milhão e meio de armênios mortos por ordens do governo otomano. Os principais responsáveis pelo planejamento do massacre foram os membros Comitê União e Progresso, partido político nacionalista, que aglutinava os chamados “Jovens Turcos”. Entre os nomes mais influentes da época estavam os dos ministros de Estado Mehmet Talaat Paxá e Ismail Enver Paxá.

Hoje a principal luta de milhões de armênios e não armênios é pelo reconhecimento mundial das atrocidades cometidas pelos Jovens Turcos durante a I Guerra Mundial no referido genocídio. Até agora, mais de vinte países reconhecem a existência do genocídio armênio (ver Quem Reconhece). Contudo, o Brasil ainda não figura nessa lista. Todos os anos, na semana do dia 24 de abril, manifestações públicas em memória das vítimas do genocídio são organizadas em São Paulo com o objetivo de dar visibilidade ao acontecimento histórico e à luta do povo armênio e para pedir o reconhecimento do massacre aos governos do Brasil e da Turquia, dentro dos parâmetros democráticos e pacíficos. Como disseram os armênios numa mobilização de 2005: “não há ódio, só mágoa”.

Fonte: genocidioarmenio.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

comentários

↑ topo