Espiritualidade Santa Missa

Com a medida que julgar, será julgado

Julgar é ato único de Deus e não dos homens

Padre Adriano Zandoná presidiu a Missa, nesta segunda-feira, 20, às 19h30, na Igreja Maronita Nossa Senhora do Líbano, em São Paulo (SP). Ele começou a homilia expondo o erro que as pessoas cometem ao julgar os outros.

O sacerdote explica que o ato de julgar é algo que já está nas pessoas, mas, quando fazemos isso, remetemo-nos ao pecado inicial de Adão e Eva.

“Quando julgamos, colocamo-nos no lugar de Deus. O julgamento feito por homens é sempre impreciso e ardiloso, pois vemos só a superfície dos fatos; enquanto Deus enxerga a intenção profunda do nosso coração”, disse ele.

O padre segue a homilia explicando as consequências do pecado na nossa vida. “O julgamento, como todo pecado, gera morte e destruição; além disso, o pecado corrompe o ser humano”, completou.

Assista a homilia na íntegra:

Livros de padre Adriano Zandoná:

Construindo a felicidade Curar-se para ser feliz Conquistando a liberdade

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

comentários

↑ topo