Espiritualidade PHN

Como a carência afetiva pode levar aos vícios

“PHN” apresenta testemunho de homem que se envolveu em vícios em busca de suprir sua carência afetiva e a falta de assistência familiar.

Larissa Sene
Da Redação

O programa “PHN” de terça-feira, 26 de maio, recebeu o fundador da Comunidade Nascer de Novo, Antônio Moreira Sobrinho, de 47 anos, de Salto (SP), para testemunhar como a carência afetiva o levou aos vícios e à rebeldia na juventude.

Órfão de mãe, morta em decorrência de um câncer de mama quando ele tinha dois anos de idade, Antônio foi criado pelo pai, que não manifestava nenhuma atitude de afeto pelos filhos e os tratava com violência devido ao alcoolismo e à prostituição.

Por essa razão, a partir dos 14 anos, a maconha, o álcool e as baladas se tornaram parte de sua juventude. De família com boas condições financeiras, nem mesmo o dinheiro e a namorada foram capazes de preencher o vazio que ele sentia. “A carência do amor da mãe e a rejeição do amor do pai estavam presentes em todas as minhas atitudes”, ressalta o convidado.

Desde 2007, Antônio Moreira Sobrinho, juntamente com sua esposa e outros amigos, concretizaram o sonho de ter uma casa de acolhimento aos jovens com dependência química, para lhes oferecer atendimento em oração e aconselhamentos, com a fundação da Comunidade Nascer de Novo.

A instituição acolhe meninos, dos 12 aos 17 anos de idade, dependentes químicos. O tempo de permanência dos adolescentes na casa de acolhimento é de nove meses. O tratamento é realizado por meio de laborterapia, psicoterapia, espiritualidade, trabalho de artesanato esporte e lazer.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

comentários

↑ topo