TV Canção Nova celebra o Dia Internacional da Mulher

TV Canção Nova celebra o Dia Internacional da Mulher

Dia 8 de março celebra-se o Dia Internacional da Mulher, e a TV Canção Nova faz uma homenagem a essas figuras femininas essenciais na vida humana.

Larissa Senne
Da Redação

Mãe, esposa, trabalhadora, dona de casa e, acima de tudo, mulher. É incrível como as representantes do sexo feminino têm o poder de fazer tudo ao mesmo tempo. Hoje, elas ocupam lugar de destaque e de comando, desempenham vários papéis na sociedade.

No Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março, vale relembrar as responsabilidades e o valor dessas guerreiras no contexto social, familiar e religioso. No mundo, algumas mulheres, impulsionadas por seus sonhos, afloraram por meio do trabalho; outras, realizaram o desejo de se dedicarem à família ou acolheram o chamado de Deus e seguiram sua vocação num caminho junto a Ele.

À diversidade feminina é acrescida a responsabilidade que, desde meados da década de 1960, convencionou-se uma série de reivindicações e conquistas de direitos, sobretudo no âmbito trabalhista.

Enquanto Papa, São João Paulo II, em sua Exortação Apostólica “Familiaris Consortio”, 23, acrescenta que “não há dúvida de que a igual dignidade e responsabilidade do homem e da mulher justificam plenamente o acesso da mulher às tarefas públicas. Por outro lado, a verdadeira promoção da mulher exige também que seja reconhecido o valor da sua função materna e familiar em confronto com todas as outras tarefas públicas, em geral reservadas ao homem”.

Para a Igreja, a mulher foi moldada por Deus para ser, sobretudo, mãe e esposa, dedicada a sua família e provedora desse amor incondicional. Assim, os sexos foram distinguidos, completamente diferentes, no corpo e na alma, na voz e na força, nas lágrimas e na sensibilidade.

“E da costela que tinha tomado do homem, o Senhor Deus fez uma mulher e a levou para junto do homem. Eis agora aqui, disse o homem, o osso de meus ossos e a carne de minha carne; ela se chamará mulher, porque foi tomada do homem. Por isso o homem deixa o seu pai e sua mãe para se unir à sua mulher; e já não são mais que uma só carne.” (Gen 2, 22-24)

São João Paulo II ainda redige, em uma de suas cartas, um belíssimo comentário sobre a figura feminina, declamando seu respeito e carinho por ela: Disse ele: “Rende graças por todas e cada uma das mulheres: pelas mães, pelas irmãs, pelas esposas; pelas mulheres consagradas a Deus na virgindade; pelas mulheres que se dedicam a tantos e tantos seres humanos, que esperam o amor gratuito de outra pessoa; pelas mulheres que cuidam do ser humano na família, que é sinal fundamental da sociedade humana; pelas mulheres que trabalham profissionalmente, mulheres que, às vezes, carregam uma grande responsabilidade social; pelas mulheres perfeitas e pelas mulheres fracas”. (Carta Apostólica Mulieris Dignitatem, 1988 )

“O homem é a cabeça, a mulher é o coração. O corpo só é perfeito, porque a cabeça é cabeça e o coração é coração. Quem não precisa de coração? Já imaginou se o seu coração parasse de bater? Nós homens precisamos de coração! Graças a Deus, as nossas mulheres são o coração.” (Trecho extraído da pregação “Mulheres no designo de Deus”, de monsenhor Jonas Abib).

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

comentários

↑ topo