Jornalismo Igreja no Brasil

Começou, no primeiro domingo do Advento, o Ano da Paz

O Ano da Paz é iniciativa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e se estenderá até o Natal de 2015.

Neste primeiro domingo do Advento, que marca o início do Ano Litúrgico na Igreja Católica, começou no Brasil o “Ano da Paz”. Com o intuito de promover um tempo de reflexão, oração e ação social, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) deu abertura ao Ano da Paz, que se estenderá até o Natal de 2015.

A reportagem sobre a proposta da CNBB foi destaque no programa ‘Igreja no Brasil’ deste domingo, 30, ressaltando este momento, cujo objetivo é ajudar na superação da violência e despertar para a convivência mais respeitosa e fraterna entre as pessoas. Fundamentada na urgência de unir esforços para transformar a realidade e lutar incansavelmente na promoção da paz.

“Nós estamos preocupados com os índices de violência da sociedade brasileira, então este Ano da Paz é um convite para refletirmos o porquê está acontecendo tanta coisa má no Brasil. A gente espera que seja celebrado em todas dioceses, paróquias, comunidades”, destaca o vice-presidente da CNBB, Dom José Belisário da Siva.

Outros destaques do programa:

Papa incentiva a valorização da Vida Consagrada

Em peregrinação na Turquia, Papa Francisco, por ocasião da abertura do Ano da Vida Consagrada, no domingo, 30 de novembro, enviou uma vídeo mensagem para que os consagrados “despertem o mundo!”. Inspirado na Exortação Vita Consecrata de São João Paulo II, o Santo Padre redigiu a carta apostólica com objetivos, expectativas e os horizontes do Ano da Vida Consagrada, que prosseguirá até 2 de fevereiro de 2016.

.: Vaticano apresenta carta do Papa para Ano da Vida Consagrada

.: Papa Francisco declara 2015 o Ano da Vida Consagrada

Bispos cobram postura ética dos políticos eleitos
A presidência da CNBB divulgou a nota ‘Brasil pós eleições – compromissos e desafios’. Os Bispos recordam aos escolhidos nas eleições de outubro, o dever de servir a todo povo brasileiro e o compromisso com a ética e a verdade. A CNBB afirma ainda, a importância da participação da Igreja na política como auxílio na construção de uma sociedade justa e fraterna.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

comentários

↑ topo